como falar melhor inglês

Motivo #12: Do you – really – speak English?

Você realmente fala inglês? Não, não a little bit. Falar inglês mesmo. Não estou falando de arranhar, nem de »captar o contexto«. Comprar Big -Mac não vale. Miami também não – só tem brasileiro lá.

Por uma série de razões [todas elas que motivam a existência desse blog esquisito, a propósito], as pessoas acreditam que falar alemão é impossível e que você vendeu a sua alma para conseguir isso.

Bem, é verdade que aprender alemão não é algo que acontece da noite para o dia. Mas isso também é verdade para qualquer outra habilidade que se pretenda aprender em um nível merecedor de algum destaque – o menor que seja.

¿Ou você ainda está achando que as pessoas aprendem com um estalar de dedos a desenhar, dançar, tocar um instrumento musical, desenvolver software, cozinhar etc.?

A minha grande birra com essa questão [e o último motivo por que ainda não dei um reset nesse blog] é que existe uma ideia generalizada de que inglês é uma língua fácil e – já que é »facinho« – todo mundo consegue falar.

Nessa hora, você deve estar se remexendo na cadeira e achando isso tudo extremamente absurdo. Mas antes que você me xingue mentalmente, vamos dar uma olhada em alguns dados concretos.

Continua comigo.

O estudo

Um levantamento de dados realizado pela EF [Education First] mostrou que os brasileiros andam passando vergonha quando o assunto é proficiência em inglês.

Os candidatos brasileiros foram avaliados com »Proficiência Baixa« com base nas notas da quarta edição do EPI – teste elaborado pela própria instituição para mensurar o conhecimento de inglês de adultos para fins profissionais. Nessa mesma categoria se encontram também candidatos de países como Vietnã, Peru, Rússia, China, México, Uruguai, Ucrânia, Colômbia, Emirados Árabes Unidos entre outros.

Bem, é claro que esse estudo não representa estatisticamente a totalidade da população dos países, já que ele só mensura o nivel daqueles que participaram voluntariamente do teste online.

Se você quiser checar os dados e a metodologia do estudo, recomendo muito você consultar a fonte original. De todo modo, vou destacar aqui alguns pontos que podem fazer você reavaliar algumas certezas sobre »línguas fáceis«.

Resultados

Para a surpresa de absolutamente ninguém, países escandinavos, Áustria, Polônia e Holanda lideram a lista na faixa »Proficiência Muito Alta«. A Alemanha ocupa o 10º lugar na faixa »Proficiência Alta« – o que confirma [pelo menos parcialmente] nossa impressão de que os alemães falam bem inglês.

Seguindo a escada decrescente, o próximo degrau traz uma surpresa deliciosamente cruel [Schadenfreude!] – especialmente para os sabidões que acham que falam »aquele inglês bonito« e tiram sarro do inglês do indiano cheio de sotaque.

Pode ser até legal rir do jeito engraçado que o indiano fala naquele seriado cheio de nerds, mas a verdade é que a Índia ficou com 25º lugar no ranking da EF – ou seja, 13 posições à frente do Brasil.

Ou seja – se você acha que o indiano fala inglês mal e ri da pronúncia dele, preste atenção: você pode estar falando inglês igualzinho a ele – ou até mesmo pior!.

Brasil e América Latina

Para constatar como brasileiro se gaba de saber inglês sem motivo, é só comparar o desempenho do Brasil com os demais países da América Latina.

Apesar de estar na metade superior da pirâmide [5º lugar de 14 países participantes], o Brasil é superado pela Argentina [a despeito da crise econômica que afunda o país todo dia há mais de dez anos], Peru, Equador e República Dominicana.

Outro dado interessante é a pontuação absoluta dos países. A distância entre a Argentina e o Brasil [respectivamente, 1º e 5º lugar na América Latina] é de quase 10 pontos. Por outro lado, a diferença entre o Brasil e a Costa Rica [10º lugar] é de apenas 1,44 pontos.

Isso significa que, na prática, estamos mais próximos dos nossos vizinhos caribenhos, que insistimos em esnobar, do que da eterna rival Argentina. Aliás, ela deixou o Brasil comendo poeira nesse aspecto.

Não custa nada lembrar que, em termos de robustez econômica, esses países estão bem abaixo do Brasil – que hoje ocupa a posição de 7ª economia do mundo. É bom se lembrar desses dados na próxima vez em que você for falar mal de algum país andino sem nenhuma base de comparação.

Pelo menos no que diz respeito a proficiência em inglês, tamanho do PIB não é documento.

No final das contas …

Um último ponto a ressaltar: nesse estudo, foram avaliadas apenas pessoas que fizeram o teste on-line voluntariamente. Ou seja, não estamos falando de absolutamente todos os brasileiros, mas sim apenas daqueles que, por vontade própria, queriam mensurar seus conhecimentos em inglês.

Ou seja, se o inglês tão »facinho« quanto dizem por aí, por que é que essas pessoas – presumivelmente com um alto nível de escolarização e inserção profissional – atingiram resultados tão medianos?

Se é verdade que a estrutura do inglês é »simples«, então os brasileiros estão devendo uma prestação de contas gigantesca com essa balança fictícia de pesar »dificuldades dos idiomas«.

É claro que estou discutindo apenas um único estudo e não dá para sair tirando conclusões universais precipitadas só com isso. De todo modo, é uma boa chance para questionar certas concepções de senso comum.

Ou o inglês não é tão fácil quanto dizem, ou os brasileiros é que não estão dando conta de uma coisa tão fácil quanto falar inglês.

aprender alemão

4 comentários a “Motivo #12: Do you – really – speak English?”

  1. Eu sempre achei o sotaque dos indianos falando inglês uma gracinha haha adoro ouvir
    Já o fato de uma das línguas oficiais da India ser inglês, já pode dizer muita coisa quanto à proficiência deles…

    1. Também acho sensacional o sotaque dos indianos! Mais legal do que o britânico! Você tem toda razão nesse ponto da língua oficial. Talvez esse seja um dos motivos porque os indianos não saem arrotando arrogância por aí, ao passo que os brasileiros sabem bem menos e são muito mais orgulhosos

  2. Bem Legal seu texto! Eu sempre tive dificuldades na pronuncia e na hora de formar frases em inglês. Por conta disso só consigo escutar o que dizem, e traduzir. Mas nunca consigo conversar. Nunca achei inglês tão fácil assim quanto dizem. Inclusive tenho mais dificuldade em inglês que em Alemão. 🙂

    1. Pois é, Millena! De vez em quando, é bom trazer dados concretos assim para desmistificar esse papo de que inglês é facinho. Mostra esse texto da próxima vez que alguém te contestar! ☺

Deixe um comentário!