Alemão é o idioma mais lógico do mundo?

Há quem diga que o alemão é o idioma mais lógico do mundo. Mas será que é verdade mesmo?

O mito do idioma mais lógico do mundo

Você certamente já escutou alguém dizer por aí que o alemão é o idioma mais lógico do mundo. Afinal de contas, a língua alemã te permite ir emendando as palavras umas nas outras para construir outras novas.

Uma engenhosidade lógica que supostamente só o alemão tem e que lhe garante a medalha de ouro em uma competição de lógica entre todas as línguas do mundo, certo? Sinto muito estragar a sua alegria, mas não é bem assim que as coisas funcionam.

Exemplos viciados

Não surpreende nem um pouco que esse mito do alemão como idioma mais lógico do mundo é sempre justificado com o mesmíssimo exemplo dos substantivos compostos.

Afinal de contas, qual estudante de alemão não se deslumbra quando descobre que, em alemão, geladeira (Kühlschrank) é um armário (Schrank) gelado (kühl). Chamar “luva” (Handschuh) de sapato (Schuh) de mão (Hand) também dá aquele estalo de “Como é que não pensei nisso antes!”. E se você quiser dizer “papel higiênico”, é só ir emendando o sanitário (Klo) e o papel (Papier) e pronto: você já tem um Klopapier e uma nova palavra em mãos!

Em comparação com o português, isso parece tão mais prático e mais lógico que é até difícil de acreditar. Afinal de contas, é muito mais fácil de intuir o que seja uma “médico de olho” (Augenarzt) do que um “oftalmologista”. Da mesma maneira, “dermatologista” (Hautarzt) é um médico (Arzt) de pele (Haut), “ginecologista” (Frauenarzt) é um médico (Arzt) de mulher (Frau) e “veterinário” é um médico (Arzt) de bicho (Tier). Ao invés de desperdiçar espaço na memória decorando uma infinidade de nomes de especialidades, é só ir combinando as palavras e pronto. Nada mais lógico do que isso, não?

A lógica e a poesia dos compostos alemães

Para completar, tem ainda aquelas composições que, de tão insólitas e precisas, acabam ficando até mesmo um pouco poéticas. Quer coisa melhor do que chamar de “cinema mental” (Kopfkino) aquelas cenas que ficam repassando na nossa memória?

E se tem uma coisa que os alemães fazem bem é usar composições para conseguir dizer “vergonha (Scham) alheia (Fremd) em uma palavra só (Fremdscham). Como se isso não bastasse, também dá para dizer inveja da comida simplesmente emendando “ração” (Futter) e “inveja” (Neid). Colar tempo (Zeit) e espírito (Geist) é de uma leveza tão eficaz que mesmo a língua inglesa adotou sem pudor a palavra Zeitgeist (espírito do tempo).

palavras alemãs ridiculamente específicas

Compor substantivos em alemão é animal!

A mesma coisa acontece também com os nomes de animais.

Chamar um gambá (Stinktier) de bicho animal (Tier) fedido (Tier) parece muito mais lógico e intuitivo, além de divertido! A língua alemã parece ter entendido bem que é melhor chamar “lesma” (Nacktschnecke) de caramujo (Schnecke) pelado (Nackt). E, se você olhar bem uma tartaruga (Schildkröte), poderá até concordar que ela pareça um sapo (Kröte) de carapaça (Schild).

Mas será que chamar um polvo de peixe de tinta (Tintenfisch) é realmente tão lógico assim?  Bem, no que diz respeito à tinta, não há nenhum problema. Agora, usar a palavra “peixe” para se referir a um polvo já começa a forçar a barra, não acha?

Lógica para quem?

Apesar de fascinantes, esses exemplos são apenas a ponta divertida de um  iceberg de composições nem tão divertidas e muito menos lógicas.

Não sem certa dose de malandragem argumentativa, os defensores do alemão como idioma mais lógico do mundo sempre pinçam os substantivos compostos mais convenientes para usar de exemplo. O que nem sempre fazem questão de te contar é que esses casos são apenas os mais evidentes de uma infinidade de compostos que – verdade seja dita – nem sempre são tão compreensíveis assim.

Chamar “torneira” (Wasserhahn)  de galo (Hahn) d’água (água) não faz sentido até alguém explicar a semelhança da forma da torneira com o pescoço do galo. Tudo bem, a associação pode até não ser de todo surreal. Mas daí a considerar o alemão o idioma mais lógico do mundo, existe uma boa distância.

Falar muitas línguas

Além disso, nem sempre é possível deduzir o significado do composto a partir das suas partes. Se você já fez algumas aulas de nível básico em alemão, pode até saber que Schwein é porco e Hund é cachorro, mas certamente vai ter dificuldades em deduzir que um porco-cachorro (Schweinhund) é um xingamento em alemão – e dos pesados ainda por cima!

Outro exemplo que destroi de vez essa história de idioma mais lógico do mundo são os numerais. Em alemão, as unidades são pronunciadas antes das dezenas. Ou seja, um número como 49 (neunundvierzig) é pronunciado como “nove (neun) e quarenta (vierzig)”. Então quer dizer que é essa a tão afamada lógica do alemão? Se isso não te fizer suspeitar desse mito, é melhor se preocupar!

Por que então o mito do alemão como idioma mais lógico do mundo ainda persiste?

A essa altura, já dá para ver como essa história de alemão como idioma mais lógico do mundo não tem fundamento factual.

Se a língua fosse só estrutura morfológicas da palavras, isso poderia teria alguma chance de ser verdade. E mesmo assim, estão aí exemplos que mostram como é duvidoso sair espalhando esse mito como se fosse uma verdade absoluta. É só explorar o idioma em todas as suas possibilidades (e não apenas as mais convenientes e engraçadinhas) para constatar isso.

Mesmo que uma ou outra palavra aqui e ali pareçam confirmar essa ideia, não se engane, é apenas uma falsa aparência. Mas você pode estar se perguntando agora: se isso é tão escancarademente errôneo, por que tanta gente acredita nessa história?

Para ser honesto, não posso dar respostas definitivas e categóricas, mas acho que tenho um bom palpite quanto a isso.

Só é possível filosofar em alemão?

Você certamente já escutou também uma outra história de que “só é possível filosofar em alemão”, certo? Pois bem, a essa altura você já deve estar enxergando onde quero chegar! No imaginário brasileiro, a cultura e a língua alemã sempre foram associadas à filosofia, às artes, à literatura e a tudo que envolve intelectualização em seu grau mais abstrato.

E, já que é assim, nada mais óbvio do que filosofar no idioma mais lógico do mundo. Percebe como essas ideias vão se retroalimentando e se perpetuando?

por que artistas deveriam aprender urgente alemão

É claro que essas conclusões não se fazem assim tão às claras. Mas pare um pouco, reflita e veja se você consegue imaginar alguém coroando o espanhol, o francês ou o tupi como idioma mais lógico do mundo. Difícil imaginar a cena, não é?

Só para ficar com um exemplo, é mais provável que o francês seja considerado como um idioma charmoso, elegante e clássico. Bem poucos se atreveriam a rotulá-lo como idioma “lógico” como fazem com o alemão – e isso tem muito mais a ver com o imaginário que temos dos países e das culturas que falam essas línguas do que com uma suposta superioridade lógica das estruturas gramaticais da língua.

Inclusive, se esse fosse o caso, seria preciso analisar e colocar lado-a-lado absolutamente todas as línguas do mundo para poder afirmar com seriedade e certeza que o alemão é a mais lógica de todas. E, cá entre nós, desconfio que ninguém até hoje conseguiu fazer isso de boa fé.

E então, gostou do post?

É lóoico que você vai compartilhar com todo mundo nas redes sociais! E se você não quiser arriscar perder nenhuma novidade do blog, é só seguir o Geermanofonia nas redes sociais e assininar taambém a newsletter aqui na barra lateral do site.

Bis bald!germanofonia

Sag mal was! · Comente!