fonética do alemão

Por que a fonética do alemão soa tão pesada?

Já virou clichê dizer que a fonética do alemão é pesada, áspera e dura.

É só você dizer que está estudando alemão que aparecem do bueiro mil palpiteiros perguntando se você vai fazer gargarejo, se vai falar cuspindo, arranhar a garganta e mais um punhado de estereótipos grotescos nada motivadores.

Mitos da fonética do alemão: cusparadas, gargantas rasgadas e veias saltando.

A menos que você tenha começado a estudar alemão há pouco tempo, certamente alguém já te mostrou um vídeo engraçadinho comparando a pronúncia do alemão com a de outras línguas:

Mas é fácil mostrar que a fonética do alemão soa áspera fazendo uma caricatura que força exageradamente a pronúncia de consoantes vibrantes múltiplas junto com olhos arregalados e veias do pescoço saltando.

É claro que dá para dar algumas risadas, mas  no fundo isso não tem lá muito fundamento concreto, além de reforçar aquele já surrado estereótipo do alemão sisudo e agressivo.

Em resposta, o canal EasyLanguages já mostrou que, fazendo as pessoas gritar e esbravejar, qualquer língua pode soar igualmente dura e antipática.

Quer ver?

Mas, afinal, por que tanta insistência em dizer que o alemão parece que está xingando quando fala? Existe algum fundamento concreto nisso?

Para sair desses lugares-comuns banais, destrinchei aqui cinco aspectos concretos que tornam a fonética do alemão menos acessível para ouvidos brasileiros.

1) Fonemas diferentões

De fato, alguns sons do alemão podem ser bem complexos para nós brasileiros.

Por exemplo, a pronúncia de »ch« em final de sílaba e do prefixo »-ig« costuma arranhar a garganta de quem está menos acostumado com a língua!

  • (feio)
  • (azar)
  • (barato)
  • (esforçado)

Também dá um pouquinho de trabalho aprender a articular corretamente a combinação consonantal »-ng-«. Ao contrário do que parece, não basta apenas pronunciar um [n] seguido de um [g]. Na verdade, trata-se de um único fonema velarizado que é normalmente representado com o símbolo [ ŋ] do alfabeto fonético.

Escute aqui alguns exemplos com a palavra (pegar), (cantar) e (constituição)

Infelizmente, tenho más notícias: dominar esses sons é indispensável se você quer falar bem alemão. Mas a boa notícia é que tudo é apenas uma questão de treino. Com doses homeopáticas de repetições diárias, você consegue domar até os sons mais difíceis!

praticar audição em alemão

2) Sílabas travadas

Se, assim como 95,4392% das pessoas, você também ainda acha que a língua alemã soa dura e pesada, então você até que tem alguma razão, sim!

A bem da verdade, essa impressão de dureza da língua alemã se deve a sua estrutura silábica. Em português, há uma tendência a utilizar sílabas em consoante-vogal. Uma listinha rápida e despretensiosa já mostra isso com facilidade:

  • pato
  • casa
  • dinheiro
  • vida
  • farinha

Essa tendência fica bem evidente no nosso hábito de colocar um pequeno “i” bem sutil ao final de palavras estrangeiras importadas que terminam em consoante. Abra os ouvidos da próxima vez que alguém pronunciar “Facebook”, “hip-hop” ou mesmo “internet” e você perceberá do que estou falando!

Já em alemão, a estrutura da sílaba mais frequente é formada por consoante-vogal-consoante, eventualmente ainda com duas consoantes antes da vogal ou ditongo principal. Quer ver?

  • (pão)
  • (criança)
  • (casa)
  • (armário)

Essa tendência de colocar sempre uma consoante após a vogal é o que faz a pronúncia do alemão soar tão trancada e dura.

É claro que existem palavras alemãs com sílabas consoante-(consoante)-vogal! Só para citar alguns exemplos, temos:

  • (você)
  • (pavão)
  • (três)

Porém, esses casos são bem menos frequentes no idioma. A tendência do idioma é claramente formar sílabas consoante-(consoante)-vogal-consoante, para o bem ou para o mal!

Como fala maria-chuteira em alemão

3) Acento tônico em sílabas anteriores à antepenúltima

Agora é hora de relembrar aquelas aulas de português da escola para dizer que, em português, acento tônico pode cair até na antepenúltima sílaba da palavra. Esse é o limite máximo possível em português. Ficou difícil? Então dê uma olhada nesses exemplos:

Acento tônico na última sílaba

  • café
  • jogador
  • Paraná
  • Jabuti
  • violão

Acento tônico na penúltima sílaba

  • gato
  • cadeira
  • tapete
  • rapidamente

Acento tônico na antepenúltima sílaba:

  • último
  • próximo
  • clássico
  • místico
  • rústico

Embora não seja uma regra draconiana, as palavras do português tendem a carregar o acento tônico na penúltima sílaba.

E é aí que as coisas complicam para nós brasileiros!

No alemão, é perfeitamente possível colocar o acento tônico bem antes da antepenúltima sílaba. Aliás, um bom número de palavras alemãs têm acento tônico na primeira sílaba – o que vai de encontro às regras do português que internalizamos!

Veja só alguns exemplos:

  • (conservação)
  • (quartinho de trabalho)
  • (bem… confira aqui o significado dessa palavra!)

Nesses casos, a solução é carregar um pouco mais na pronúncia da sílaba tônica, pois a chance de errar é bem maior.

dicas de curtas-etragens alemães

4) Articulações complexas

Frequentemente, o alemão usa combinações de duas ou até mais consoantes antes da vogal da sílaba. Para nós brasileiros, isso pode dar um bom trabalho bem naquela hora em que você menos precisa gaguejar!

Isso não quer dizer que não consigamos produzir esses sons com um bocado de ginástica fonética. Mas, de todo modo é algo que soa bastante áspero para quem não está tão habituado à fonética da língua alemã!

Algumas dessas combinações incluem:

  • [st]: (hora), (ficar de pé), (picada)
  • [sp]: (emocionante), (aranha), (diversão), …
  • [str]: (rua), (praia), (meia)
  • [spr]: (frase), (pular), (falar)
  • [schr]: (horrível), (gritar), (tralha)

Quando uma palavra terminada em consoante (não são poucas) se aglutina a outra palavra (obviamente começando com consoante), a pronúncia pode ficar bem carregada, ainda que haja uma micropausa entre uma palavra e outra.

técnicas para estudar expressões idiomáticas em alemão

5) Melodia da frase

Você já escutou um alemão falando e teve a impressão de que ele era um autômato sem emoções?

Pois então, na verdade existe um motivo linguístico bem concreto para isso. Na língua alemã, a frase recebe bem menos modulações melódicas do que em português brasileiro.

Na nossa língua, a entoação melódica da frase é bem flexível e pode facilmente transformar uma frase afirmativa em uma frase irônica, sarcástica, dramática, impositiva etc.

Em alemão, essas nuances de sentido que criamos com a melodia da fala são criadas com as partículas discursivas (as assim chamadas Redepartikeln), que carregam o sentido intencional da frase.

Pois é, os alemães tem uma categoria gramatical para fazer tudo aquilo que fazemos quando falamos cantando! É por essas e outras que a fala dos alemães sempre soa um pouco sem sal aos nossos ouvidos.

Como suavizar a fonética do alemão?

Se você chegou até aqui, não se deixe desanimar com a pronúncia alemã!

De fato, todos esses aspectos que apontei aqui realmente fazem o alemão soar não muito melodioso em nossos ouvidos, ao contrário do italiano e do francês por exemplo!

Mas a verdade é que tudo isso pode ser dominado com treino paciente. Principalmente nos estágios iniciais, é importante dedicar 5-10 minutinhos diários para fazer um pouco de ginástica fonética. Com prática diária e utilizando estratégias de estudo inteligentes, você conseguirá sim dominar até mesmo os sons mais espinhosos do alemão.

Em bem menos tempo do que você imagina, a fonética do alemão perderá essa aspereza e começará a soar como música em seus ouvidos.

Tenha um pouco de paciência e persistência nos exercícios fonéticos e mãos à obra!

nível avançado em alemão

Salvar

Salvar

2 comentários a “Por que a fonética do alemão soa tão pesada?”

    1. Danke, Ricardo! Particularmente, acho importante colocar as coisas em termos objetivos para não sair reproduzindo achismos infundados por aí 🙂 Obrigado pelo feedback!

Deixe um comentário!